Na próxima revisão periódica que o Governo irá realizar a 15 de maio, no âmbito do Covid 19, a Protoiro quer ver incluída o regresso das corridas de toiros.

Tal como vai acontecer com o futebol e o teatro, o setor tauromáquico já tem um plano traçado para apresentar ao Governo. Plano esse, que foi divulgado no passado sábado ao Presidente da República, numa audiência que decorreu no palácio de Belém.

Algumas das propostas feitas pela ProToiro que são de caráter urgente, como por exemplo: a suspensão ou moratória do pagamento de contribuições fiscais dos artistas, dos empresários tauromáquicos e dos ganadeiros, durante o período de paragem da atividade. Tal como, o apoio social de sobrevivência para os artistas impedidos de exercer a sua profissão, durante a vigência da proibição dos espetáculos, a isenção do Imposto Municipal sobre Imoveis (IMI) das praças de toiros ou o apoio à alimentação e manutenção das quadras de cavalos a cargo dos artistas são algumas das propostas feitas pela ProToiro com carater de urgência.

A par destas medidas de intervenção rápida também vão ser propostas ao Governo, a 5 espetáculos tauromáquicos em 2020 via canal público de televisão (RTP), em vez das 2 transmissões já anunciadas pela Direção de Programas. Assim como, a criação de um programa sobre tauromaquia na rádio pública (Antena 1) e o regresso de um programa de Tauromaquia à RTP2, tal como a criação de um programa de Apoio às Artes Tauromáquicas, no Ministério da Cultura, uma vez que a tauromaquia é a única área tutelada que não é contemplada com este tipo de apoios públicos. 

NR: Como diria António Gedeão “o sonho comanda a vida”.