Portugal está cada vez mais na rota gastronómica a nível mundial, prova disso foi a atribuição 2 novas classificações de 2 estrelas na edição de 2017 do Guia Michelin, e de 7 novas distinções de 1 estrela a restaurantes portugueses. O anúncio foi feito ontem em Girona, Espanha.

Ao todo, o país fica assim com 5 restaurantes com 2 estrelas e 16 restaurantes com 1 estrela, num total de 21 restaurantes e 26 estrelas Michelin.

Nesta edição os portugueses conseguiram mais 9 que em 2016. Infelizmente, ainda não foi desta que Portugal conseguiu um restaurante com 3 estrelas, a distinção máxima do Guia. No entanto, este ano não houve um restaurante português a perder nenhuma estrela.

As grandes novidades na categoria 2 estrelas (significado “mesa excelente, merece um desvio”), são, os restaurantes The Yeatman em Vila Nova de Gaia e Il Gallo d’Oro no Funchal. Em comunicado, a Michelin sublinha que o restaurante madeirense destaca-se pelas “incríveis notas de autor que adiciona à cozinha clássica e internacional”, enquanto o restaurante da invicta “tem uma criatividade muito própria, sempre construída com base em abordagens magníficas”.

Já na categoria de 1 estrela (significado “cozinha de grande fineza, merece uma paragem”), são sete os estabelecimentos que entram para o mais famoso guia gastronómico a nível mundial: Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira) um restaurante que prima pelos produtos vindos do Atlântico, que segundo o guia,  são os “inequívocos protagonistas”.

Alma de Henrique Sá Pessoa e Loco de Alexandre Silva (vencedor do concurso Top Chef da RTP) ambos os restaurantes lisboetas, foram distinguidos pela inovação e arrojo “uma criatividade e boa execução, que garantem uma nova vivacidade à gastronomia da capital”.

William no Funchal, L’And Vineyards em Montemor-o-Novo (que recuperou a estrela que perdeu na edição anterior), Antiqvvm no Porto e Lab by Sergi Arola em Sintra. são os outros estabelecimentos premiados com uma estrela que o guia enaltece a elegância e a gastronomia de excelência, elogiando ainda o “caráter intimista que emana personalidade e sofisticação” do Lab by Sergi Arola.

As expectativas agora recaem sobre a próxima edição do Guia Michelin e Lisboa pode ser a cidade eleita para a organização deste evento gastronómico. “Estamos a estudar essa possibilidade e é algo que queríamos muito. Portugal está a evoluir, tem muito talento e esta edição demonstrou que vai continuar a dar que falar. Estamos atentos e queremos que o evento aconteça em Lisboa”, afirmou ao Diário de Notícias, Ángel Pardo, diretor de comunicação do Guia Michelin,

Restaurantes com 2 estrelas Michelin:
Il Gallo d’Oro: Benoit Sinthon, Funchal (Novidade)
The Yeatman: Ricardo Costa, Vila Nova de Gaia (Novidade)
Belcanto: José Avillez, Lisboa
Ocean: Hans Neuner, Alporcinhos  (Algarve)
Vila Joya: Dieter Koschina, Albufeira

Restaurantes com 1 estrela Michelin
Loco: Alexandre Silva, Lisboa (Novidade)
Alma: Henrique Sá Pessoa, Lisboa (Novidade)
Antiqvvm: Vítor Matos, Porto (Novidade)
Casa de Chá da Boa Nova: Rui Paula, Leça da Palmeira (Novidade)
LAB by Sergi Arola: Penha Longa (Novidade)
William: Luís Pestana: Funchal (Novidade)
L’And Vineyards: Miguel Laffan, Montemor-o-Novo (RECUPERA)
Bon Bon: Rui Silvestre: Carvoeiro
Casa da Calçada: André Silva, Amarante
Eleven: Joachim Koerper, Lisboa
Feitoria: João Rodrigues, Lisboa
Fortaleza do Guincho: Miguel Rocha Vieira, Cascais
Henrique Leis: Henrique Leis, Almancil
Pedro Lemos: Pedro Lemos, Porto
São Gabriel: Leonel Pereira, Almancil
Willie’s: Willie Wurger, Vilamoura

foto: site restaurante Loco