O ano de 2020 foi um ano bastante duro em todos os sectores e a Tauromaquia não foi excepção. Os Cavalos de Toureio são verdadeiros atletas e a sua manutenção acarreta custos bastante avultados. Numa fase sem Touradas, durante a quarentena obrigatória e até ao recomeço das Corridas de Toiros a 30 de Julho, os artistas tauromáquicos viram-se impedidos de trabalhar, criando uma grande pressão financeira na manutenção dos seus cavalos.

No sentido de apoiar os Toureiros e os seus animais foi criado um Banco Alimentar Equestre, que permitiu assistir aqueles que mais necessitaram numa fase tão dura para todos.

Desta forma, a Associação Nacional de Toureiros, e em particular os Cavaleiros Tauromáquicos, agradecem à Caleya, Fertiprado, Florestas Sustentáveis, Forragens Raianas, Intacol, Saha, Manuel Laurentino e Sociedade Agrícola Venâncio & Venâncio, por toda a ajuda prestada num momento tão difícil, tal como à Associação Nacional de Grupos de Forcados pelo envolvimento nesta iniciativa.