Os toiros da ganadaria Veiga Teixeira saíram encastados, com volume e a pedir contas aos toureiros e aos forcados. “Parreirita Cigano” e Jacobo Botero não se intimidaram, e disseram a todos os presentes no Campo Pequeno que querem ser toureiros!

Apesar das dificuldades e de algumas carências técnicas quem ambos têm, tanto o português como o colombiano deram uma lição de querer. Demonstraram ambição e arriscaram em busca de um triunfo que surgiu e bem no final da corrida. A empresa do Campo Pequeno, num gesto de aficion (algo que cada vez mais escasseia cá no burgo), decidiu e bem, repetir os dois jovens para a próxima semana, desta vez num cartel com duas figuras do toureio a pé em Espanha, os matadores de toiros”El Fandi” e Juan del Álamo.

Tanto “Parreirita Cigano” como Jacobo Botero, puseram “a carne no assador” e levaram emoção às bancadas. Emoção esse sentimento cada vez mais raro nas arenas nacionais.

 

Mas atenção, não foram só os dois ginetes que triunfaram… Os forcados estão de parabéns! Nesta noite houve grandes e duras pegas. Pelos amadores do Ribatejo foram caras Rafael Costa à primeira tentativa e André Martins à segunda tentativa. Pelos amadores da Chamusca foram caras Igor Rabita numa grande pega à segunda tentativa e Luís Isidro que executou a pega da noite à primeira tentativa. Pelos rapazes do Aposento da Chamusca foram caras Francisco Andrade à segunda e João Rui Salgueiro esteve enorme e apesar de concretizar apenas à terceira tentativa não deixou de ser uma grande pega, deste grande forcado.

Voltando à parte equestre, “Parreirita Cigano” recebeu a alternativa das mãos do seu mestre Manuel Jorge de Oliveira e fez uma lide onde a emoção foi palavra de ordem em especial na ferragem curta. Manuel Jorge de Oliveira reaparecia por uma noite, para dar alternativa ao seu pupilo, e logo diante de uma ganadaria dura, e isso tem muito mérito. Em vez de se por diante de um “toirinho” que não desse grandes apertos, enfrentou com encastado Veiga Teixeira. Manuel Jorge de Oliveira não se intimidou e depois de cravar a ferragem comprida, chamou o “Parreirita” para cravar os curtos a duo. O último curto do veterano cavaleiro de Azambuja, foi provavelmente o melhor ferro da noite.

Rui Salvador arriscou, pisou terrenos de compromisso e cravou ferros de boa nota. Ana Batista cravou o grande ferro comprido e depois a lide veio a menos com o toiro a demonstrar a sua carência em tábuas. João Maria Branco andou correto e eficaz, mas sem deslumbrar. E Jacobo Botero realizou uma sorte de gaiola emocionante, que foi o tiro de partida para uma lide onde o risco (e porque não dizer alguns toques) estiveram sempre presentes.

Mas o que conta mesmo nestes jovens é a atitude e a sua disposição. O querer triunfar, o pisar terrenos de compromisso onde os toiros podem agarrar os toureiros. Isso tem muito mérito e ninguém pode negar. Agora é esperar que surjam oportunidades para estes miúdos ganharem rodagem em arenas nacionais, podem e devem competir, porque a competição e a emoção são dois aspetos fundamentais para rejuvenescer a aficion portuguesa.

Não perca, a reportagem em vídeo desta corrida. Só aqui no Faenas TV!

fotos: Campo Pequeno