A Festa Brava está viva e de boa saúde, prova disso foi a lotação esgotada na última corrida da temporada 2019 em Lisboa, transmitida pela RTP.

Após as cortesias à antiga portuguesa, procedeu-se à entrega do Galardão Prestígio 2019 a António Ribeiro Telles, assim como uma homenagem ao 50º aniversário das célebres corridas de toiros que se realizaram em Jacarta, na Indonésia, por iniciativa dos empresários Manuel dos Santos e Alfredo Ovelha. Do grupo de intervenientes dessa efeméride asiática estiveram presentes no Campo Pequeno, o cavaleiro José Maldonado Cortes, o bandarilheiro José Tinoca e os forcados Simão Comenda (o cabo desse grupo de forcados), João Cortes, Carlos Anacleto e António Sécio.

No que diz respeito à corrida propriamente dita, a mesma decorreu em bom ambiente. Os toiros da ganadaria do Dr. António Raul Brito Paes estavam bem apresentados (talvez com um pouco de peso a mais para a morfologia deste toiro…) e de comportamento tiveram nobreza e transmissão, com excepção para o lidado em quinto lugar que foi um pouco distraído.

António Prates abriu praça depois de confirmar a sua alternativa recebida este ano em Alcochete. O jovem cavaleiro de Vendas Novas realizou uma atuação muito interessante, tendo baseado a sua lide em quiebros que foram do agrado do público.

Seguiu-se o Mestre António Ribeiro Telles que deu uma lição de toureio clássico à portuguesa. Lide sóbria e com muita verdade em tudo o que fez. Numa noite em que o cavaleiro da Torrinha toureava a sua 101ª corrida de toiros no Campo Pequeno, o Mestre voltou a marcar a diferença pela classe com que toureia.

Rui Fernandes recebeu o seu toiro com uma emotiva sorte de gaiola. Na ferragem curta esteve muito bem aproveitando da melhor maneira o toiro que tinha por diante, sendo premiado com fortes ovações.

A lide de João Moura Caetano, primou pelo temple. Foi uma atuação muito positiva e as sortes realizadas de forma muito artística, montando o cavalo “Campo Pequeno”.

Ana Rita é sinónimo de alegria, irreverência e persistência. Nos últimos anos devido à falta de oportunidades para tourear em Portugal, tem centrado as suas atuações em Espanha. Nesta noite no Campo Pequeno, realizou uma lide muito interessante onde a entrega e conexão com o público estiveram sempre presentes.

Encerrou a corrida Luís Rouxinol Jr. com uma grande lide onde a sua capacidade lidadora ficou bem patente. Montando o “Douro” cravou ferros com impacto, rematados com bonitos ladeios.

No que diz respeito aos forcados, tanto os Amadores de Montemor como o Aposento da Chamusca dignificaram a jaqueta das ramagens.

Por Montemor foram caras: Francisco Calçada Pina e João da Câmara ambos à primeira tentativa. Francisco Borges pegou com raça e galhardia ao terceiro intento.

Pelo Aposento da Chamusca foram caras: Francisco Barreiros d’Andrade e João Saraiva ambos à primeira tentativa. Encerrou a noite no que diz respeito ao capitulo das pegas o forcado João Salgueiro, pegando o toiro ao segundo intento.

A corrida foi dirigida por Tiago Tavares, assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva e o cornetim José Henriques.

A temporada 2019 em Lisboa encerrou da melhor maneira, com uma grande noite de toiros.