O Partido Socialista conquista dois milhões de votos e 140 maiorias absolutas, nas eleições autárquicas 2017. A noite foi do PS. Os socialistas conquistaram este domingo, primeiro dia de outubro, o melhor resultado autárquico da sua história. Entre os quase cinco milhões de eleitores que se deslocaram ontem às urnas, 1,95 milhões depositaram o seu voto no partido liderado por António Costa. Em relação às eleições autárquicas de 2013, houve mais 146 mil votantes no PS.

O partido do Largo do Rato tem a partir de hoje 157 presidentes de câmara, mais onze face ao último escrutínio. Destes, 140 foram eleitos com maioria absoluta. Não foi o caso de Fernando Medina. O presidente da Câmara de Lisboa conquistou 42,02% dos votos e perdeu a maioria absoluta conquistada há quatro anos por António Costa, ficando com oito vereadores na capital, menos três do que até agora.

Entre as principais conquistas do PS contam-se a Câmara de Sintra, onde Basílio Horta foi reeleito com 43% dos votos, a Câmara de Gaia, onde Eduardo Vítor Rodrigues foi reeleito com 61,6% dos votos e onde o partido conquistou as 10 freguesias do concelho, e ainda Matosinhos, onde Luísa Salgueiro, com 36,36% dos votos, passa a ser a primeira mulher a liderar o município. Mais a sul a festa também se fez em tons de rosa. No Alentejo, o PS conseguiu quebrar a habitual hegemonia do Partido Comunista, ao conquistar 122 câmaras municipais. O PCP perdeu vários municípios, tendo vencido 69 câmaras.

Uma das maiores surpresas da noite teve lugar em Almada, bastião comunista desde o 25 de Abril. A candidata do PS, Inês de Medeiros, foi eleita com uma diferença de 213 votos para o candidato do PCP. Sem surpresas, os socialistas também dominaram nas eleições para as juntas de freguesia, tendo conquistado 1291 localidades, ou seja, 41,9% do total de 3081 freguesias do país.

E se a noite teve um vencedor claro, teve também dois grandes derrotados. PSD e PCP registaram os priores resultados autárquicos da sua história. Sozinho, o partido liderado por Pedro Passos Coelho conquistou 825 mil votos, 16,08% do total nacional, e em coligações alcançou os 1,36 milhões de eleitores. No total, foram 96 as Câmaras Municipais e 820 as juntas de freguesia que se pintaram de laranja. O maior fracasso do partido da São Caetano à Lapa acabou por ser a capital, onde a candidata Teresa Leal Coelho não foi além do terceiro lugar, com 11,23% dos votos, o que significou a perda de um vereador.

fonte: Dinheiro Vivo