A recém criada associação sem fins lucrativos “Praça Maior” a quem recentemente fizemos uma entrevista no Faenas TV, apresentou no passado sábado os três cartéis que compõem a temporada 2019, na praça de toiros de Santarém.

Este ano a Celestino Graça vai abrir as portas em três ocasiões, para realizar três corridas de toiros à portuguesa. A temporada na capital do Ribatejo começa com uma corrida por ocasião das Festas de São José e os outros dois festejos vão realizar-se durante a Feira Nacional da Agricultura.

17 de Março: João Moura, António Telles e Francisco Palha – Forcados de Santarém e Vila Franca de Xira – Toiros da ganadaria Cunhal Patrício

10 de Junho: António Telles, Luís Rouxinol e Salgueiro da Costa – Forcados de Santarém – Toiros da ganadaria Vasconcellos Souza de Andrade

16 de Junho: João Moura Jr, João Telles Jr e Francisco Palha – Forcados de Santarém e Montemor – Toiros da ganadaria Veiga Teixeira

Análise do abono 2019 em Santarém

É de extrema importância realçar pela positiva as parcerias que a associação “Praça Maior” está a realizar junto de diversas entidades, nomeadamente a Câmara Municipal de Santarém que conforme adiantou o site toureio.pt já adquiriu 20 mil euros em bilhetes para a corrida inaugural. A NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, vai ser o parceiro da segunda corrida que vai ter o naming de “Corrida de Toiros do Ribatejo” e a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) é a parceira para a terceira e última corrida que se vai realizar a 16 de Junho na Celestino Graça.

A par destas parcerias muito importantes, é de realçar a limpeza que está a ser feita nas bancadas da praça de toiros que possui maior lotação em Portugal.

Pelo aspecto menos positivo, (não digo que seja negativo porque esta associação veio com boas intenções e muita aficion), considero que a confecção dos cartéis não me surpreendeu… Na prática é mais do mesmo… Três corridas de toiros do mesmo tipo: 3 cavaleiros, 2 grupos de forcados e dois de uma ganadaria (excepção para o 10 de Junho, em que o grupo da terra pega em solitário).

No que diz respeito ao toureio a cavalo, são nomes de qualidade inquestionável mas existe a repetição de dois cavaleiros. Não acho que haja necessidade disso, tendo em conta a quantidade que cavaleiros tauromáquicos e rejoneadores que existem na actualidade.

Os rapazes das “jaquetas das ramagens” estão muito bem representados, mas podia haver mais diversidade. Compreendo que o Grupo de Santarém seja presença assídua nas corridas da sua praça, mas não é preciso ser em todas (imaginem se no Campo Pequeno, fosse sempre o Grupo de Lisboa a pegar todas as corridas…). Se o grupo da terra pega a primeira corrida e os seis toiros no segundo festejo, no terceiro espectáculo podia haver competição entre por exemplo três grupos ribatejanos, sabendo de antemão que esta é uma região com excelentes grupos de forcados.

No plano ganadeiro considero que as corridas foram bem escolhidas, mas podia haver um concurso de ganadarias em especial na corrida da CAP, seria o retomar de uma bonita tradição.

Os responsáveis pela montagem dos cartéis podiam apostar noutros formatos de corridas de toiros: concurso de ganadarias, corrida de gala antiga portuguesa, corrida de seis cavaleiros, corrida mista, corrida com seis matadores de toiros portugueses ou por exemplo por uma corrida à portuguesa com a presença de seis grupos de forcados da região.

Resumindo e concluindo os cartéis são de qualidade inquestionável, mas falta um bocadinho de imaginação na sua confecção e a vontade de “sair da caixa”. ,O mais importante quando foi feita a análise final do abono 2019 em Santarém é que a praça volte a ter novamente boas entradas de publico. Sendo a maior praça de toiros de Portugal (13 mil lugares) era muito importante que a lotação média por espectáculo rondasse os 9 mil espectadores. Acredito plenamente que a associação “Praça Maior”, vá conseguir esse feito, tendo em conta as boas parcerias que está a levar a cabo. Depois é esperar que os toiros invistam para os aficionados divertirem-se e acima de tudo, emocionarem-se com boas lides e boas pegas!