A praça de toiros de Almeirim reabriu ontem as suas portas, depois de um período em que esteve fechada para obras de requalificação desta infraestrutura. Agora, ao redor da praça existem diversas lojas que vão dar uma nova vida ao local em dias que não há corridas de toiros, tornando o espaço mais acolhedor e polivalente.

De manhã decorreram as cerimónias oficiais da abertura da praça. Houve lugar aos discursos das entidades locais nomeadamente de José Lobo Vasconcellos, o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Almeirim (proprietária da praça) e de Pedro Ribeiro, Presidente da Câmara de Almeirim. Seguiu-se o descerrar da placa de reinauguração e a bênção da praça, numa missa dada pelo padre de Almeirim.

No período vespertino realizou-se o momento alto para os aficionados, a corrida de toiros. A tarde primaveril ajudou a que as bancadas estivessem cheias e o cartel também era muito apelativo. Confronto das principais dinastias do toureio a cavalo à portuguesa.

Lidou-se um curro da ganadaria Vale Sorraia, bem apresentado e de comportamento homogéneo tendo em conta as características desta ganadaria de encaste português.

Abriu praça João Moura que lidou um toiro que transmitia pouco, mas o cavaleiro de Monforte deu-lhe a volta com engenho, em especial na ferragem curta.

Seguiu-se António Ribeiro Telles que foi buscar o toiro à porta dos curros e cravou um grande ferro comprido. Nos curtos montando o cavalo Alcochete, António Telles rubricou uma atuação de alto nível e com muita verdade. Cravou os ferros de frente e ao estribo. Excelente brega e classe no remate das sortes. Grande lide!

Luís Rouxinol foi o terceiro cavaleiro da tarde. Realizou uma lide muito correta do princípio ao fim. O toiro tinha uma ligeira tendência para se refugiar em tábuas, mas Rouxinol tirou-o da querença e cravou grandes ferros curtos montando o cavalo Douro. Bonitos pormenores de brega e remates muito toureiros. Terminou a lide com um ferro de palmo e um par de bandarilhas.

Joao Moura Jr abriu a segunda parte da corrida da melhor maneira. Deu distância ao toiro e cravou os ferros em sortes emocionantes com batida ao piton contrário. Foi uma lide bonita e do agrado do publico.

Luís Rouxinol Jr pôs a carne no assador e começou a lide com um emocionante ferro em “sorte de gaiola”. Um ferro que deixou a praça em pé. Na ferragem curta Luís André esteve muito bem, cravando bons ferros montando o cavalo Girassol. No fim da lide os pares de bandarilhas não correram como queria, no entanto, foi uma lide muito positiva.

Encerrou a tarde António Telles filho que lidou um novilho da ganadaria David Ribeiro Telles. O jovem cavaleiro amador apresentou um excelente conceito de equitação e cravou bons ferros em sortes frontais. Houve verdade e classe. Oxalá tenha sorte e humildade, porque pode vir a ser um caso sério no que diz respeito ao toureio a cavalo à portuguesa.

No que diz respeito aos forcados em praça estavam os grupos de Santarém e do Aposento da Moita, ambas as formações com uma forte ligação a Almeirim. O grupo de Santarém fez a sua apresentação em publico na antiga praça de Almeirim em 1915 e Aposento da Moita teve muitos forcados oriundos deste concelho, nomeadamente o cabo João Simões.

Pelos escalabitanos foram caras, Francisco Paulos à segunda tentativa, Salvador Ribeiro de Almeida à primeira tentativa e Ruben Giovetty numa grande pega à primeira tentativa.

Leonardo Mathias fazia a estreia como cabo do Aposento da Moita e realizou uma bonita pega à primeira tentativa ao segundo toiro da tarde. Salvador Pinto Coelho pegou à segunda tentativa e o jovem João Gomes pegou ao primeiro intento.

Foi uma excelente tarde de toiros com grande ambiente, boas lides, pegas emotivas e um bom pronuncio para a revitalização da Tauromaquia em Almeirim.

foto: Miguel Alvarenga @ Farpasblogue