A 10 de agosto, realizou-se a tradicional novilhada no Campo Pequeno, que temporada após temporada dá a conhecer alguns dos novos valores da tauromaquia nacional.

A praça de toiros da capital registou uma excelente entrada de público, numa noite em que se lidaram seis novilhos oferecidos pelas seguintes ganadarias: Varela Crujo, Caetano, Vinhas, Grave, Falé Filipe e David Ribeiro Telles. Estavam bem apresentados e deixaram-se lidados, excepto o Vinhas e o Grave em especial este último que foi muito manso.

 

A cavalo Francisco Correia Lopes, mostrou um conceito de toureio clássico. Toureou bem o novilho de Varela Crujo, sabendo escolher bem os terrenos e cravando bons ferros. Pecou por algum excesso de velocidade. Mas sem dúvida alguma que é um cavaleiro com futuro, dentro de um estilo que faz falta às nossas arenas “o clássico é eterno e as modas são efémeras”.

Soraia Costa veio do norte mostrar o seu bom conceito de toureio. Tem bons cavalos e sabe utiliza-los. Toureou com calma procurando sempre fazer as coisas bem feitas com desembaraço e alegria.

Manuel Oliveira o mais novo do elenco equestre, mas não foi por isso que deixou de realizar uma lide correta com um estilo de toureio muito proprio.

No que diz respeito aos Forcados foram caras: David Mouchão da Azambuja, à primeira tentativa, Fábio Madeira da Póvoa de São Miguel, à primeira tentativa e Duarte Campino do Cartaxo, realizou a pega à terceira tentativa.

No que diz respeito ao toureio a pé, Joaquim Ribeiro ‘Cuqui’, não pôde mostrar o seu talento e bom conceito porque infelizmente o novilho de Murteira Grave era muito manso e não queria nada com a flanela rubra. Na memória ficaram detalhes de capote e acima de tudo o valor do jove moitense que nunca desanimou perante um novilho que não permitia uma serie de muleta.

Diogo Peseiro é um toureiro “todo-o-terreno”. O novilheiro de Almeirim mostrou estar em forma e brilhou nos três tercios em especial nas bandarilhas onde tem uma facilidade incrível.  O novilho de Falé Filipe, era nobre e tinha boas investidas e Peseiro aproveitou isso da melhor maneira realizando uma faena em crescendo.

Sérgio Nunes esteve valente e suplantou todas as dificuldades do novilho de Ribeiro Telles. O antigo aluno da Academia do Campo Pequeno, sacou todos os passes que podia sacar ao novilho e quando este parava a meio da investida, o novilheiro de Sintra ficava quieto mostrando que se lhe surgirem oportunidades pode vingar, neste difícil mundo que é o dos toiros.

Nota ainda para os homens de seda e prata, bons pares de Pedro Gonçalves, de Fábio Machado e de Tiago Santos (um jovem que num passado recente, toureou no Campo Pequeno numa altura em que era novilheiro. Tinha excelentes maneiras e tudo para ser matador de toiros, só faltou ter oportunidades para isso).

Bom jogo de cabrestos apresentado em praça e excelente trabalho levado a cabo pelos campinos. Um olé para eles!

Manuel Gama foi o diretor de corrida, assessorado pelo veterinário Carlos Santos e pelo cornetim José Henriques.

foto: Campo Pequeno