Mais de 18 mil pessoas passaram pelo Campo Pequeno para assinalar o Dia da Tauromaquia, uma iniciativa coroada de sucesso como demonstrou a adesão da afición portuguesa que superou as 13 mil presenças no BullFest realizado em 2017. O passado dia 23 de fevereiro traduziu-se numa prova irrefutável da vitalidade desta atividade cultural, que continua a ser marginalizada por quem a deveria defender como bastião da portugalidade.

“As milhares de pessoas que se deslocaram ao Campo Pequeno, à procura da cultura taurina, representam apenas uma ínfima parte dos muitos portugueses que se reveem nos valores da tauromaquia. A quem desvaloriza a vontade de milhares de aficionados em todo o País, a quem repete a mentira de que a tauromaquia está em declínio, os números deste evento são factos incontornáveis”, defende Paulo Pessoa de Carvalho, presidente da PróToiro.

Mais de 5500 espectadores no Festival Taurino; cerca de 2500 em cada uma das três demonstrações realizadas ao longo do dia (forcão, recortadores e equitação com fado; centenas de crianças e jovens nas diversas ações organizadas dentro e fora do Campo Pequeno; 60 cavalos, 25 bandarilheiros, 25 forcados, 11 toureiros e cerca de 350 pessoas que ajudaram a transformar o Dia da Tauromaquia num evento memorável.

Organizado pela PróToiro, através da marca Touradas, o sucesso do Dia da Tauromaquia representa também um grande desafio. “Encaramos seriamente a realização anual do evento. A importância que demonstrou ter e o resultado extraordinário que obteve, quase nos obriga a realizá-lo anualmente. A decisão será tomada muito em breve e tudo indica que será nesse sentido, pois a tauromaquia nacional necessita de se reencontrar e recarregar energias num encontro anual como este”, reforça Paulo Pessoa de Carvalho.

Para já, uma semana após a realização do evento, fica a certeza de união de toda a comunidade taurina.

foto: DR.